Dor após herniorrafia (cirurgia para correção de hérnia abdominal)

     Dor após procedimentos, tanto abertos quanto endoscópicos, para correção de hérnias abdominais é bastante comum. Nas primeiras 2 semanas, consideramos normal a ocorrência de desconforto na região operada e mesmo a sensação de um corpo estranho, a depender da técnica cirúrgica empregada. Consideramos atípico a sensação dolorosa na região inguinal (virilha) que dura mais que três meses após o procedimento cirúrgico, podendo levar a um comprometimento importante da qualidade de vida e da função sexual. Um estudo europeu demonstrou que 28,7% dos pacientes operados para correção de hérnias abdominais apresentavam dor um ano após o procedimento cirúrgico, ou seja, a ocorrência de dor crônica é bastante comum após correção de hérnias abdominais. 

Existe tratamento específico para dor após correção de hérnia abdominal?

     Sim. Inicialmente dividimos o quadro de dor nos seus componentes, principalmente componente neuropático e/ou miofascial. Nos quadros de dor inguinal após herniorrafia com predomínio do componente neuropático temos uma série de medicações tanto de uso oral (pela boca) quanto para uso tópico (na região da dor). Nos quadros com componente miofascial predominante temos várias medidas físicas para melhora do quadro, incluindo agulhamento do pontos gatilhos e medidas de alongamento muscular, além de tratamento farmacológico especifico. 

Já ouvi falar sobre aplicação de toxina botulínica. Funciona nestes casos?

     A aplicação de toxina botulínica é um tratamento promissor para casos de dor neuropática refratária. Diversos estudos atuais enfatizam sua eficácia no tratamento de dor do tipo neuropática, desta forma, pode ser uma opção em casos de dor após cirurgia de correção de hérnias abdominais.