Cirurgia para Doença de Parkinson

      A doença de Parkinson é muito frequente, afetando mais de 1% da população brasileira. Muitos pacientes conseguem controles dos sintomas apenas com medicações. Porém, em alguns casos, os efeitos colaterais dos remédios são muito importantes ou ainda com o passar dos anos os medicamentos perdem a eficácia. Nestes casos, a cirurgia para doença de parkinson é uma boa opção. 

A cirurgia para doença de Parkinson é indicada apenas nos casos terminais?

     Não. Existe um tempo adequado para a cirurgia. Geralmente entre 5 e 10 anos após o início dos sintomas. Se o paciente "perder"esta janela de oportunidade, os resultados são ruins. Por isso, os pacientes que tem doença de parkinson não devem esperar a piora para procurar a opção de cirurgia para a doença de parkinson. 

A cirurgia cura a doença de Parkinson?

     Infelizmente não. A cirurgia tem como objetivo a melhora dos sintomas com consequente melhora da qualidade de vida. Com isso, o paciente com doença de parkinson muitas vezes volta a realizar atividades que lhe agradam.

Os convênios autorizam a cirurgia para doença de parkinson?

     Sim. A cirurgia para doença de parkinson é realizada há mais de 100 anos, sendo comprovadamente eficaz. Ao longo destes 100 anos, muitas evoluções tecnológicas ocorrem, tornando a cirurgia cada vez mais segura e eficaz. Atualmente, estes procedimentos são reconhecidos pelos orgãos reguladores do Brasil e do mundo todo e estão incluídos no rol de procedimentos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). 

Quando a cirurgia para doença de Parkinson é indicada?

No início da doença de Parkinson, os pacientes conseguem controle dos sintomas (tremor, rigidez e dificuldade de movimentação) com medicações via oral, notadamente com o uso de Prolopa. Com o evoluiur da doença, os pacientes podem passar a apresentar a chamada "Flutuação Motora", quue pode ser subdividida nos fenômenos On-OFF, wearing OFF, discinesias, freezing e mesmo distonias. Nestes pacientes, a cirurgia para doença de Parkinson costuma levar a melhora importante da qualidade de vida. Geralmente, o ideal para cirurgia são pacientes que estão entre 5 e 10 anos do início da doença.

Foto do Dr Thiago Rodrigues, durante implante de eletrodos cerebrais profundos (DBS) para tratamento cirúrgico da doença de Parkinson.

Como a cirurgia para doença de Parkinson é realizada?

Existem diversas opções de cirurgia para tratamento da doença de Parkinson. A cirurgia mais comum consite no implante de eletrodos em regiões profundas do cérebro. Estes eletrodos modulam os circuitos neuronais que estão alterados nesta doença, proporcionando alívio dos sintomas. Estes eletrodos são acoplados a um gerador, que habitualmente implantamos na região subclavicular, semelhante a um marcapasso cardíaco. 

Foto de eletrodos cerebrais profundos (DBS) implantados na região dos núcleos subtalâmicos, bilateral, para tratamento da doença de Parkinson. 

Desta forma, se você ou algum conhecido seu apresenta esta doença e não está apresentado controle adequado dos sintomas, por favor, nos procure. Podemos te ajudar!

Consultório Vila Clementino - Rua Botucatu 591, Sala 42 | CEP 04023-060

Consultório Tatuapé - Rua Catiguá 159, Sala 1018 | CEP 03065-030

Dr Thiago Rodrigues | CRM 140571 | RQE 59016

Neurocirurgia e Clínica de Dor

Screen Shot 2021-02-04 at 15.47.40.png
011 975725770  (mensagens Whatsapp)
011 41117587 (tel fixo do consultório)
Screen Shot 2021-02-04 at 15.47.40.png